sábado, 18 de dezembro de 2010

40) Prazer aos 12 anos.

Certa vez eu fui pescar com uma turma de amigos e no meio tinha um rapaz mais velho que vou chamá-lo de R. Bom ficamos na beira do Rio a tarde inteira e R me chamou para procurarmos um outro local, pois ali só estava dando uns lambaris pequenos, fomos até a outra margem do rio, enquanto o outros permaneceram por lá mesmo.

Começou a escurecer e eu falei pra ele, para voltarmos e ele me perguntou se eu estava com medo, na época eu tinha 12 anos e meu pai só deixou e ir pescar, por que tinha um adulto responsável pra cuidar de mim e dos outros meus amigos um deles era sobrinho do R.

Respondi que não tinha medo, pois confiava nele. Em determinado momento ele sentiu vontade de urinar e falou pra mim ficar de olho na vara de pesca dele, eu senti vontade também e fui junto com ele, na verdade apenas nos viramos pro lado de uma moita e colocamos nossas varas pra fora, foi aí que eu fiquei realmente de olho na vara do R.

Ele me olhou e perguntou, gostou?

Respondi: Nossa que vara grande.

Ele falou:mas eu pedi pra você ficar de olho na minha vara de pesca.

Eu respondi: estou olhando...e que vara rs rs rs... com a maior vontade de segurar a vara dele e senti-la em minha mão, aquela vara roliça enorme e quente foi quando ele me perguntou se eu queria pegar!!!... nem esperei ele terminar de falar e com o maior medo de os outros moleques verem, segurei aquele mastro quente e gostoso o que na verdade eu já tinha premeditado fazer isso e a oportunidade era o pretexto da pescaria e tudo estava acontecendo exatamente do jeito que eu havia planejado.

Segurei aquele mastro gostoso e começei a punheta-lo bem devagar, R. gemia de prazer, ensaiei passar a boca na cabecinha daquela pica deliciosa, R. delirava, esfreguei um pouco a cabecinha em meus lábios e aos pouco fui colocando aquele mastro em minha boca e com movimentos de vai-e-vém, no começo devagar, até me acostumar com aquele mastro em minha boca pequena, depois fui acelerando um pouco mais, até que ele me propos, colocá-lo no meu traseiro e eu disse que apesar de eu ter treinado muito para esse momento, tinha medo de doer.

R.:Treinado? como assim?.

É eu treinei com cenoura, desodorante em formato cilindrico no banheiro lá de casa, e fiz isso pensando em você. Ele então abaixou minha calça até arrancá-la por inteiro, nisso já estava bastante escuro e o sobrinho dele começou a chama-lo, ele respondeu para eles irem se ajeitando que nós iriamos passar a noite pescando, meu coração já estava pra lá de acelerado, aí ele passou saliva no meu traseiro e na pica dele, começou a pincelar aquele mastro no meu rabo, ele se sentou e eu de costas pra ele pude fazer do jeito que eu imaginei, agachava e levantava bem devagar e ele pincelando bem gostoso, aquele mastro no meu rabinho, que delícia, agachei mais um pouquinho e fui controlando a introdução, nossa que prazer, inexplicável!!! quase uma tortura pra R. que depois me confessou que queria há muito tempo, que aquele momento acontecesse, quando resolvi descer naquele mastro até o fim, R. deu um suspiro profundo e me apertou tão gostoso que senti o leitinho quente sendo despejado dentro de mim, ele não agüentou e ficou com aquele mastro fincado em mim e eu sentindo ele pulsando dentro de mim...

Esse foi só o começo de minhas aventuras com R.

Hoje tenho 38 anos e tenho maior saudade de daquele tempo de memino. R tinha 22 anos de pura sacanagem... brincamos muito... contarei depois. Bay.Meu e-mail jairsilva.38@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário